terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

CUIDADOS COM A SAÚDE NO TEMPO SECO



TEMPO SECO E UMIDADE REDUZIDA EXIGEM CUIDADOS EXTRAS, ALERTA SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE

Com a alteração, os que mais sofrem são idosos e as crianças. 

Ausência de chuvas, piora na qualidade do ar com a baixa umidade e concentração de poluentes. Essa conjunção de fatores deve tirar o sono de muitos pais nas próximas semanas, de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Os dados estatísticos confirmam que essa conjunção de fatores resulta em um aumento significativo na ocorrência de doenças respiratórias, pelo menos até o fim do inverno.

De acordo com o diretor do Hospital, Antonio Carlos Madeira, as doenças respiratórias mais comuns são as gripes e resfriados, mas nesta época do ano também aumenta o número de bronquites e pneumonias. "Esta época do ano é propícia ao desencadeamento de doenças alérgicas como rinites e asma, por exemplo", ressalta.

O diretor do Menino Jesus acrescenta ainda a importância de estar atento aos sintomas comuns nos casos de problemas respiratórios. O sinal de alerta dispara se o paciente apresentar febre, tosse, coriza, espirros, lacrimejamento, dores no corpo e falta de ar. Com base na intensidade e na duração de um ou vários destes sintomas, é possível fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado.

"Os pais devem estar atentos ao quadro geral da saúde da criança. Se os sintomas se confirmarem, os pais ou responsáveis devem buscar por atendimento médico ", informa Madeira. 

A prevenção tem papel fundamental para evitar que os problemas se manifestem. Assim, cuidados simples podem fazer toda a diferença. Os especialistas recomendam deixar as janelas abertas para favorecer a circulação de ar, evitar locais fechados com aglomeração de pessoas, tomar bastante líquido, aumentar a umidade do ar no ambiente doméstico com a colocação de recipientes com água e limpar toda a casa com panos úmidos para evitar acúmulo de pó.

Quando procurar atendimento médico:

1.Febre alta e persistente;

2.Houver presença de tosse e coriza por mais que cinco dias;

3.Falta de ar e dificuldade respiratória;

4.Dores que não desaparecem após o uso de analgésicos.

5.O que fazer para se prevenir:

6.Deixar sempre as janelas abertas para favorecer a circulação de ar;

7.Evitar locais fechados com aglomeração de pessoas;

8.Consumir muito líquido;

9.Aumentar a umidade do ar na casa ou apartamento, colocando, por exemplo, uma bacia com água no quarto das crianças (e onde houver ar condicionado ligado).

10.Limpar a casa e os móveis com panos úmidos para evitar o contato com o pó, foco de ácaros, maiores responsáveis pelas alergias respiratórias.

http://extranet.saude.prefeitura.sp.gov.br/



Nenhum comentário: